Imagem capa - Emoção e muito amor no Parto Normal: A chegada de Pedro Henrique. por MICHELLE BEZERRA DE MELO VILANOVA
Fotografia de parto

Emoção e muito amor no Parto Normal: A chegada de Pedro Henrique.


Esse é um relato de parto diferente, não será contado pela mãe, como de costume, e sim pela fotógrafa que aqui escreve. Bom, para começar eu não a conhecia. A Vilanova é composta por uma equipe massa, somos 06 fotógrafas, todas devidamente habilitadas para registrar a jornada do parto normal, e Israelina vinha acertando tudo com Jéssica, que está de repouso médico. No dia em que Pedro resolveu chegar eu estava na Reserva do Paiva, fotografando uma gestante, e ao telefonema de Rafael corremos para o HGMI (Hospital Geral Materno Infantil) pois segundo Rafael, em 1 hora Pedro Henrique chegaria. Na agonia, estacionei na primeira vaga e corri, ainda cheia de areia. Peguei o elevador e segui para o bloco obstétrico, pois entendi que ela estaria lá. Procurei tudo, nenhum parto normal. Já bate o desespero, o coração acelera, o telefone só da desligado. Desci para a sala de PPP, e lá os encontrei. Israelina no chuveiro, enquanto Dra. Sonia carinhosamente colocava água quente em suas costas. Respirei, pensei, cheguei… agora vamos lá!



A dor do parto normal é intensa, todos sabem disso, porém algumas mulheres são mais fortes e outras tentam, e como tentam. Israelina é dessas fortes, embora eu tenha escutado.. “quero minha cesária, tá doendo muito, não vou aguentar, pois ainda estou no começo” também vi um marido ativo, apoiador que dizia: “calma amor, você vai conseguir, e se você desistir você vai se arrepender, pois você se preparou para isso”. É isso, para mim parto normal é apoio, é ter quem se ama do lado, dando força, segurando sua mão. Então escolha bem certinho quem estará presente compartilhando esse momento com você. Sabe aquelas pessoas que gostam de reclamar? Mande embora. Sabe aquelas que gostam de pensar negativo? Mande embora. Esteja com quem esteja conectado ao seu sentimento, com o seu momento, que não lhe julgue, apenas segure sua mão com força e diga: você vai conseguir.



A Dra. Sonia combinou: "depois da anestesia conversaremos sobre a sua decisão de uma cesária, mas até ela ser feita você vai aguentar um pouquinho, pois sei que você consegue”. No meu relato seguirão algumas dicas, entre elas escolha bem o seu médico. Você consegue perceber que tudo na vida é uma questão de escolha? É você quem vai escolher o médico, então depois não pode reclamar, afinal se você passou 9 meses sendo acompanhada por ele, você certamente perguntou tudoooo e tirou suas duvidas. A magia da tecnologia entrou em ação  .... Dra. Ana já estava fazendo o primeiro procedimento anestésico. .


No bloco, o primeiro procedimento anestésico já tinha findado, mais uma vez dor. Nesse momento, conversando com Isys (irmã da paciente, médica nutróloga) descobri que Israelina era obstetra. E foi quando escutei ela dizer: “eu sabia que a dor seria muito grande, mas não imaginei tão grande assim”. Eu fiquei feliz nesse momento, pois na minha cabeça só veio: que bom que ela agora se colocou no lugar das pacientes, de hoje em diante verá o processo com outros olhos. Não é mesmo? Porque não existe forma melhor de aprender mais sobre uma situação do que passar por ela.


A dor aliviou, agora era só uma questão de tempo, respiração, força e concentração. Existem inúmeros exercícios que a mulher pode, com orientação, praticar para fortalecer a região pélvica e facilitar o momento do parto. É fato que antigamente parir era apenas um processo fisiológico, porém as mulheres de hoje, de uma forma geral, não se exercitam e nem se alimentam como antigamente, e isso influencia sim, não que as sedentárias não consigam, mas se você se prepara você ajuda a si mesmo. As contrações vinham.. força, força, força…


"Vai amor, vai amor… já está tão perto” e assim Rafael seguia com sua força, apoiando sua amada. Iris também estava na torcida, apreensiva, o coração de irmã também bate, mas com outras preocupações juntas. A família, lá fora, acompanhava tudo pelo grupo da família no WhatsApp, santa tecnologia que alivia nossa ansiedade e nos conforta com boas notícias. Iralina respirava forte, certa de sua escolha. A cena é realmente bonita, ver o ser humano se superando é surpreendente.Sim, não tem como não se emocionar. 



Um capítulo a parte … a equipe médica. Dra. Sonia Hinrichsen deu um show de humanidade, companheirismo e acolhimento, até eu ali no cantinho me senti acolhida. Muitas vezes nós fotógrafas somos excluídas do processo, algumas equipes nos toleram, mas por elas nada de fotos. Ah… se elas soubessem como essas fotos são valiosas para essas famílias e como essas fotos são importantes para eternizar o trabalho delas … mas sigamos … Dra. Sonia Hinrichsen, ainda estou encantada. A Dra. Cristina Rocha chegou para ajudá-la, e ajudou mesmo, colocou a mão na massa e juntas buscaram as diversas soluções exigidas pelo processo. A anestesista Dra. Ana Tereza também foi show, nada de ficar sentada olhando, mão na massa. Que equipe, que energia. A Pediatra era a do plantão, já chegou na hora do bebê vir ao mundo, um sorriso largo e um coração enorme, mas me perdoem, não sei o nome dela. Acontece. Perdão, vamos chamar de anjo, afinal ela foi um.



Muitos sentimentos se misturam nessa hora, nos perguntamos o que podemos fazer para ajudar aquela mamãe… estamos lá para registrar sim, mas também fazemos parte, respiramos o mesmo ar e vibramos juntos. No íntimo repetimos: vai, você consegue.. vai, falta pouco … e começamos a pedir a Deus que o bebe chegue pois queremos fazer aquelas fotos que vão rodar as redes sociais, a tradicional foto da família, com todos felizes e aquele sorrisão que enche o lugar de paz. Mas, além disso queremos que a tensão natural do momento seja substituída pela satisfação do dever cumprido.



Enfim, depois de algumas horas, Pedro Henrique chegou. Que lindo, tão saudável, rapidinho ficou corado. Para onde você olhasse você via um sorriso, mas para mim, o sorriso daquela mulher, agora mãe, que segurava forte seu bebe no colo não tinha igual. Que vitória, vencer seus medos, vencer a dor, acreditar no seu corpo. Que sensação linda, eu via tudo isso no seu olhar. Rafael estava bobo, só alegria, só pensava agora em dar carinho ao seu bebê. 


Quer ver as fotos? São lindas demais.  Clica aqui!